Never Die Club Vol. 1 – O Anti-Buda de Havana – Resenha

Never Die Club Vol. 1 – O Anti-Buda de Havana

Ano: 2017
Título Original: Never Die Club Vol 1. O Anti-Buda de Havana
Roteiro: Marcello Fontana
Desenho: Thony Silas
Cores: Paulo Torino/ Laís Bicudo | Arte Final: Mano Araújo/ Elton Thomasi
Avaliação: ★★★★☆ (Ótimo)

Never Die Club é uma HQ brasileira independente criada por Marcello Fontana (São Jorge da Mata Escura e Valkiria – Olhos de Cristal) e ilustrada por Thony Silas (Demolidor, Teia do Homem-Aranha) lançada oficialmente em 2017 após apoio coletivo na plataforma Catarse.

A obra conta a estória de uma guerra velada e silenciosa travada há séculos entre uma organização derivada da Ordem dos Cavaleiros Templários, chamada Vaucent, e um vasto e secreto grupo de Imortais espalhados pelo mundo todo. O conflito teve início durante as guerras santas e se estende até os tempos atuais, com membros de ambas facções infiltrados nos mais diversos locais e segmentos.

never-die-club-vol1-resenha-02.jpg

A trama de Never Die Club navega entre diferentes localidades e personagens, apresentando, neste primeiro volume, alguns de seus protagonistas, como a imortal renegada Venus, o sarcástico Tristan, o brutal Mavuto e o agente Roque. O conflito principal tem como fundo a capital cubana, Havana – retratada em fiéis e ricos detalhes – mas também traz cenas situadas em outras cidades do mundo, contextualizando a passagem dos personagens até o ponto central desta primeira estória.

A narrativa, inicialmente, alterna entre constantes flashbacks de seus personagens, o que ocorre com um intervalo de poucos quadros e, a princípio, pode causar estranheza. O recurso, no entanto, se justifica posteriormente e as peças passam a se encaixar, dando contexto aos fatos e confrontos que ganham fôlego a partir da metade do volume (vale até revisitar as primeiras páginas após completar a edição).

never-die-club-vol1-resenha-03.jpg

Neste ponto, a estória se mostra bem construída e recebe uma boa dose de adrenalina, com uma ação frenética, ilustrada de modo fantástico por Silas. Fontana também mostra, com muita inteligência, como conseguiu enredar seus personagens em uma trama intrigante, criativa e bem amarrada, que deixa um bom norte de curiosidade para os próximos volumes. Claro, sem deixar de explorar a sempre rica e fascinante questão da imortalidade e suas respectivas dádivas e maldições.

O volume 1 de Never Die Club conta ainda com uma série de extras, trazendo ilustrações fantásticas de outros quadrinistas nacionais, como Vitor Cafaggi (Valente, Turma da Mônica) e Wendell Cavalcanti (Boca do Lixo), além de um capítulo extra que introduz o personagem Endo, ilustrado por Alex Lins.

never-die-club-vol1-resenha-04.jpg

Never Die Club Vol. 1 – O Anti-Buda de Havana é um álbum riquíssimo e um promissor título das HQs nacionais, um prato cheio para quem curte a boa ação oitenta/noventista que influencia até hoje a maior parte das obras de ficção ocidentais. O segundo volume também já obteve financiamento no Catarse, mas você ainda pode adquirir com uma série de recompensas aqui.

Confira outras resenhas de quadrinhos aqui. Siga o Meta Galáxia nas redes sociais!

ASSINATURA

 

Análise Crítica
Data
Título Original
Never Die Club Vol. 1 O Anti-Buda de Havana
Nota do Autor
41star1star1star1stargray

Deixe um comentário