X-Men ’92 Vol. 2 – Resenha

Ano: 2017
Título Original: X-MEN ’92 2
Roteiro: Chris Sims e Chad Bowers
Desenho: Alti Firmansyah
Arte Final: Alti Firmansyah
Avaliação: ★★☆☆☆ (Regular)

Em X-Men ’92 Vol. 2, os mutantes mais famosos do mundo abrem as portas para receber novos alunos e iniciam-se as aulas. Porém, como sempre, a paz dura muito pouco quando a mansão X é atacada por Omega Vermelho e uma turma de vilões contratados para perseguir  Maverick, que se alojou na mansão trazendo a notícia de que eles estavam em perigo. Agora, os Filhos do Átomo terão de se defender contra todo possível perigo, já que eles ficam sabendo de um jogo cujo único objetivo é destruí-los. Como se não fosse somente isso, uma arma genética vampira é liberada, contaminando alguns dos alunos e trazendo ainda mais caos para o ano letivo dos X-Men.

Nesta segunda ediçao, o roteiro se torna bem pobre. A melhor parte é com certeza a pós-saga que envolvem apenas Scott e Jean, que são transportados para um futuro apocalíptico. A saga principal não encanta e não envolve o leitor, pois sua premissa é muita básica e óbvia: enfrentar um vilão que possui poderes vampíricos, criado para ser invencível.

São tantas pequenas tramas se misturando que nada de importante parece ser adicionado na estória. De um lado, temos um jogo ainda não explicado, onde somente um dos participantes agiu (os irmãos Von Strucker que liberaram a arma genética), de outro, temos a própria ação de Janus confrontando os X-Men e querendo dar fim aos mutantes (sem qualquer explicação mais aprofundada).

 

No final das contas, a principal trama dessa revista acaba por se tornar secundária e sem fundamento, servindo apenas de fundo para alguns embates e lutas entre os personagens, que também não adicionam nada ao roteiro.

X-Men ’92 Vol. 2 acabou se perdendo e se distanciando do que o primeiro volume tinha de melhor: o clássico formato de trama dos X-Men.

Análise Crítica
Data
Título Original
X-Men '92 Vol. 2
Nota do Autor
21star1stargraygraygray