How I Met Your Mother

How I Met Your Mother

Um grupo de amigos reunidos no bar. Cada um representa um estereótipo bastante comum em sitcoms: temos o cara engraçado e “pegador”; o casal divertido e simbiótico; a garota independente e o protagonista “bonzinho”, que sempre se dá mal tentando fazer as coisas darem certo, mas acaba sendo ingênuo demais e por vezes pedante.

Em suma, este é o elenco composto pelos cinco personagens principais de How I Met Your Mother, um dos maiores sucessos da TV americana na última década e também no Brasil, especialmente após a explosão da Netflix no país. HIMYM, entretanto, vai muito além dos estereótipos sobre os quais seus protagonistas foram construídos e que, ao menos nos primeiros episódios, dão a impressão de que a série se trata de apenas mais uma sitcom genérica, que tentaria seguir um formato de sucesso emplacado por Seinfeld e Friends (com a qual é constantemente alvo de comparações, mas não entraremos nesse mérito aqui).

How I Met Your Mother

Trata-se de uma série cheia de significados, de representação de situações cotidianas e atribuídas, especialmente, aos jovens adultos – pessoas que configuram uma faixa etária entre os vinte e poucos anos e os primeiros “trintas”, um momento da vida em que somos comumente condicionados por sociedade a termos metas estabelecidas de vida a serem cumpridas “antes que fiquemos velhos”. Casar, ter filhos, sucesso profissional, viajar o mundo, comprar uma casa própria. Obrigações impostas por nós mesmos, em algum momento lá atrás, e que nos perseguem por toda uma vida.

Em 2030, Ted Mosby narra ao seus filhos como conheceu a mãe deles, fazendo uma longa viagem no tempo em flashbacks que remontam aos anos em que viveu incontáveis e marcantes histórias ao lado de seus amigos, em incríveis sucessões que o levaram a, enfim, conhecer o amor de sua vida. Nas recorrentes conversas no bar MacLaren’s e em outras diversas ocasiões, Ted, Barney, Robin, Lilly e Marshall falam sobre as desventuras da vida adulta e compartilham os momentos mais marcantes de suas vidas, sejam frustrações, como a insatisfação no emprego; dores, como a morte de um ente querido; decepções amorosas ou mesmo uma história absurda que presenciaram e que fazem questão de dividir e rir com as melhores companhias que podemos contar na vida: nossos verdadeiros amigos.

How I Met Your Mother

HIMYM possui uma leveza e sensibilidade incríveis ao tratar do que podemos chamar de nossa vida. É impressionante como alguns episódios podem nos fazer gargalhar e, poucos minutos depois, cair aos prantos. Há uma evolução constante na trama, especialmente em questão de carga emocional, algo que possui total sentido uma vez que acompanhamos o envelhecimento dos personagens ao longo das nove temporadas (algo muito bem trabalhado na série, que se passa entre 2005 e 2014 e possui também uma ótima contextualização das mudanças no mundo ao longo desse tempo).

Seus personagens são engraçados, exagerados, dramáticos, ansiosos, resilientes e que podem oscilar diversas vezes de humor em um mesmo episódio. São palpáveis, reais. Quem não conhece algum Barney, Robin, Lilly, Marshall ou Ted da vida? Ou mesmo não se identifica com algum deles, ou ainda com mais de um? Eles são como eu, você. Personagens cheios de ambições e frustrações, que encontram na companhia de seus melhores amigos um alicerce pra seguir em frente mesmo quando tudo parecer perdido. E, de alguma forma, estes cinco também acabam se tornando nossos amigos ao longo de tantos episódios nos quais desfrutamos de sua companhia.

How I Met Your Mother

Não à toa, How I Met Your Mother é marcada por diversas frases, citações, cenas e inclusive músicas memoráveis, as quais somos impactados diversas vezes por vídeos, GIFs e compartilhamentos de páginas em redes sociais, mesmo três anos após sua conclusão – cujo final divide muitos fãs, mas que, independente das opiniões, a série os une como uma legião em torno do legado de momentos incríveis, incontáveis sorrisos e lágrimas distribuídos em nove anos de exibição, e que seguirão impactando muitos novos fãs enquanto for exibida na Netflix ou em qualquer outra plataforma. Se uma palavra pode definir HIMYM, esta palavra é pertencimento.

E se tem algo que a série pode nos ensinar é: valorize seus amigos. Não deixe de sair pra tomar uma com eles (ou qualquer outro rolê) e botar o papo em dia, visitá-los ou viajar com eles. Porque o tempo passa, e estes são os momentos que ficarão marcados lá na frente. Como diria Barney Stinson:

barney.gif

Confira outras resenhas de séries clicando aqui.

 

assinatura_diego-1