Mulher-Maravilha |Resenha

mulher-maravilha-filme-1.jpg

Ano: 2017
Título Original: Wonder Woman
Dirigido por: Patty Jenkins
Avaliação: ★★★★★ (Excelente)

Parece que a Warner/DC sentaram, respiraram fundo e com muita calma e dedicação, acertaram a mão no filme da Mulher-Maravilha. Ela que já havia roubado a cena em Batman vs Superman com sua entrada triunfal, ganha aqui um filme digno de seu legado das HQs. E claro, após a recepção não tão calorosa da crítica quanto a BVS, o clima de desconfiança rondava o novo filme da DC. E ainda bem que esta desconfiança passou, pois a Warner/DC acertaram a mão. Vamos ao filme.

mulher-maravilha-filme-steve-diana.jpg

A trama conta a origem da Amazona desde sua infância na Ilha Paraíso, Themyscira e assim ficando isolada do mundo dos homens. Já adulta, Diana (Gal Gadot) se depara com Steve Trevor (Chris Pine), um espião militar que está lutando contra os alemães, acaba caindo na Ilha Paraíso. E após alguns fatos, Diana o escolta de volta ao mundo dos homens, assim ela acaba indo em um missão para ajudar a acabar com a Primeira Guerra Mundial. A partir desse ponto vemos uma Diana que vai descobrir o quão cruel é o mundo dos homens, mas que também há coisas boas a serem apreciadas. Um dos grandes acertos do filme é o tom das descobertas de Diana acerca do mundo real. O impacto de ver a crueldade da Guerra, a discriminação, a miséria.  Tentar entender o mundo com uma ingenuidade natural por não nunca ter tido contato com o mundo de fora além de Themyscira, mas ela não é tratada como uma tola, nem como uma criança. Diana tem seus conceitos e luta por eles ao mesmo tempo em que tenta entender os milhares de “porquês” do mundo. Questões sociais, preconceitos, guerras e relacionamentos são alguns dos pontos que são mostrados muito bem do ponto de vista dos olhos da Amazona e fazem o espectador se questionar sobre algumas coisas.

mulher-maravilha-filme-2.jpg

A interação de Diana com o mundo é bem trabalhado e rende momentos de reflexão e também de emoção, principalmente envolvendo Steve Trevor. Quanto a parte técnica o filme é muito bonito e bem ambientado, apesar de fazer o uso excessivo de CGI em algumas partes, mas nada demais que atrapalhe. A trilha sonora  e as cenas de ação estão sensacionais, são bem empolgantes.  O filme respeita o legado da maior heroína das HQs. Não é nenhum absurdo dizer que esse filme é um marco, pois colocou em notoriedade uma personagem feminina, e com extrema qualidade e competência, e com isso quem sabe não foi o pontapé inicial para outras heroínas ganharem mais espaço.

mulher-maravilha-filme-3.jpg

Com uma ótima trama, diálogos e momentos de reflexões, cenas de ação incríveis e uma Gal Gadot lindíssima (ela não é a melhor atriz do mundo, mas é bem dedicada e tem um baita carisma, ainda quando solta aquele sorriso, ahhh meu amigo), e o elenco de apoio também é bom. Um filme para ser exaltado, pois realmente superou as expectativas e não será esquecido tão cedo. E nem deve. Em resumo, Mulher-Maravilha é um filmaço!

assinatura_andre

 

3 comentários

  1. Thais Felicia disse:

    Excelente resenha! 🙂

    1. André Betioli disse:

      Obrigado pela visita e comentário. 😉

Os comentários estão encerrados.