Um Porto Seguro – Resenha

Ano: 2013
Título Original: Safe Heaven
Dirigido por: Lasse Hallstrom
Avaliação: ★★★☆☆ (Bom)

Em Um Porto Seguro, Katie é uma jovem que se muda para uma cidade pacata e litorânea. Ela parece estar fugindo de algo ou guardando um grande segredo, e por isso, tenta não se envolver com os moradores, indo do trabalho para casa (a ser reformada) sem maiores contatos com seus colegas. Porém, ela conhece Alex, um homem marcado pela morte de sua esposa e que toma conta dos filhos. A amizade dos dois cresce, apesar de ambos não quererem se envolver, mas a felicidade pode estar por um fio, já que o passado da moça está perto de chegar na pequena cidade.

Um pouco clichê, o filme atende ao chamado. É um filme “seguro”, ou seja, não chega a ser excepcional e nem chega a ser ruim. Mediano, a trama é até que envolvente em alguns momentos (mesmo sabendo que o casal ficará junto em algum, você acaba torcendo para eles se beijarem logo) e o mistério do passado da garota também traz envolvimento para quem está assistindo, pois até determinado momento do filme, não é possível saber o que aconteceu e porque um policial está perseguindo a jovem.

Por ser de Sparks, você não sabe se um deles morrerá (e eu não irei contar. Rs). Katie e Alex formam um casal legal, mas que não chega a emocionar, pela trama não trabalhar tanto o envolvimento deles (a aproximação às vezes parece ser um pouco forçada, talvez pelo tempo de filme). Porém, o final do longa traz uma surpresa incrível (outra coisa que não posso contar), e essa virada é com certeza um dos pontos que mais intriga e que deixa o filme ser bom.

Uma simples adaptação de Nicholas Sparks, sem maiores surpresas, mas atendendo ao esperado.

Análise Crítica
Data
Título Original
Um Porto Seguro
Nota do Autor
31star1star1stargraygray